quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Dicas para digitalizar negativos/ Tips to scan films



Quando comecei a brincar com a minha lomo, não pensei que fosse possível fazê-lo. A verdade, é que estava muito mal informada mas depois de um workshop fantástico na embaixada lomográfica de Lisboa fiquei a saber um bocadinho mais sobre rolos e como trabalhar com eles.


Digitalizar rolos é a coisa mais fácil do mundo, quase tão fácil como digitalizar uma folha branca. Para mim, a maior vantagem de o fazer é ser possível tratar as fotos, em vez de ser outra pessoa a fazê-lo.

Vou dar-vos um exemplo: Há algum tempo, mandei revelar um rolo e porque os químicos da máquina estavam estragados, as fotos saíram todas azuis. Se tivesse pago a digitalização no laboratório, teria ficado com um rolo completamente estragado mas como fui eu que fiz as fotos ficaram com as cores certas. Agora está aqui outro ponto fundamental. Há quem defenda que quando começamos a mexer nas nossas fotos estas deixam de ser completamente “naturais” e se tornam manipuladas. Não concordo; Em primeiro lugar, eu tiro as fotografias para me divertir, não para ficar frustrada destas não saírem exactamente como quero. Em segundo lugar, esta manipulação não é muito diferente do que realmente acontece em qualquer loja de fotografia por isso não vejo o porquê de não o fazer.

Se têm um scanner que digitalize negativos, usem-no! Senão façam como eu e tentem encontrar um sítio onde este seja disponibilizado. Eu, por exemplo, descobri que o sítio onde trabalho na faculdade tem um scanner com esta opção, e uso-o bastante.

Aqui ficam as minhas dicas principais para uma boa digitalização:

·         Quando digitalizem, tente usar luvas, uma pinça, ou o menos possível as mãos de forma a não colocarem impurezas no filme para que estas não se vejam na foto (ou então se forem como eu que gosto de ver as impurezas não limpem lá muito bem o vosso filme … )
·         Quando digitalizarem tentem sempre fazer uma pré-visualização da foto, para que sejam possível confirmarem que está a ser digitalizada a área que pretendem e até alterarem as cores das vossas fotos.
·         Por vezes, é possível digitalizar duas fotos de cada vez. Quando isso acontece, não hesitem e fazê-lo, se utilizarem a pré-visualização conseguem obter as vossas fotos mais rapidamente.
·         Tentem sempre guardar as vossas fotos num formato com 300 dpi. Esta qualidade é mais que suficiente para impressão (desde que não sejam em poster, claro está) e não é muito pesada para o computador. Mais é de mais, e menos é insuficiente. É o meio termo ideal!
·         O Photoshop é um amigo, não um inimigo! Se o vosso scanner não dá a qualidade que pretendem às vossas fotos utilizem o Photoshop ou outro programa de manipulação de imagem. Apesar do Photoshop ter imensas opções, também tem umas mais simples que podem usar para clarear/escurecer, aumentar/diminuir contrastes ou então alterar cores. As opções são infinitas e o truque é divertirem-se e experimentarem!

Boas digitalizações!



When I started to play with my lomo, I thought I wasn’t able to scan my own film. The truth is that I was misinformed but after a fantastic workshop in the lomographic embassy here in Lisbon I found out a little bit more about films and how to work with them.

Scanning your films is really easy, almost has easy has scanning a white sheet. For me, the biggest advantage of doing it so to treat photos, instead of having other people doing it.

I’ll give you an example: Some time ago, I send a film to get the negative and because the chemicals of the machine were messed, all the photos came out blue. If I had paid for the scanning of the photos in the laboratory, I would end up with a film which would be ruined and because I had made the scanning myself the colors turned out just right. Now here is another crucial point: when we start to manipulate our own photos they are not “has they should be”. I don’t agree. I don’t agree. First, I take my photos to have fun not to be frustrated because they came out all messy and ruined. Second, this manipulation is more or less what happens in the photography labs so I don’t see the problem of doing it myself.

If you have a scan that scans negative film, then use it! Or else do like me and try to find a place where you can scan your own films. I, for example, found that that the place where I work at the university has a scan with that option, and I use it a lot.

Here are my tips for good scannings:

·         When you are scanning, make sure you use gloves, tweezers or try at least to use less of your hand has possible, so you don’t mess with the film because this will translate in shadows and stains in your photos ( or, if you are like me and actually like the stains in the film don’t do any of this! )
·         When you are scanning make sure you do a pre-visualization of the photo, so you can make sure it is scanning the actual photo and not bits of one and bits of other, or just part of your photo.
·         Sometimes, it is possible to scan two or more photos each time. If this does happen, don’t hesitate to do it and don’t forget to make the pre-visualization so you can scan your film faster.
·         Always try to save your pictures with a resolution of 300 dpi. This quality is more than enough for printing (unless of course you are making a poster so try to use higher resolution) and it’s not too heavy for your computer. This is the ideal middle term!
·         Photoshop and other image processing programs are your friends, not your enemies. If your scan doesn’t give you the image you want then use the simple options of programs like this to enhance contrast, brightness or colors and have fun with experimentation!

Have some wonderful scans!

Alcagoita

domingo, 27 de janeiro de 2013

Pressão/Pressure




A pressão no laboratório está controlada, mas aqui as coisas estão um bocadinho fora de controlo e por isso não tenho sido capaz de dar a atenção devida ao blogue. Desculpem. Esperemos que seja breve (:

The pressure in the lab is under control, but here things are a little bit out of control and so I haven’t been able to give the right attention to blog and all things related. I am sorry. I hope this will be short (:

Alcagoita

sábado, 19 de janeiro de 2013

Sobre raposas/ About Foxes




Que adoro raposas, não é novidade nenhuma.

Agora que ando mergulhada em projectos e exames o tempo que sobra é pouco, mas ainda dá para ir fazendo alguma coisa com as HAMA. A raposa foi para me fazer feliz, a cabeça da raposa vou usar como pregadeira nas golas (Já tenho uma nova, que só falta coser!)

The fact that I love foxes is no news at all.

Now that I am having a hard time with projects and exams the time I have left is nowhere near enough but I can still manage to create some things out of HAMA beads. The fox is just to make me happy and the fox’s head I am going to use has a broche in my cowls (I have a new one, it just needs to be sewed up!)

Alcagoita

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Tricot/Knitting




Pode não ser nada de especial, mas demorou quase um mês a ser feito e foi a primeira coisa que fiz em tricot. Nem parece meu. A verdade é que *suspiro* adoro fazer tricot! Mesmo demorando o tempo que demorei, achei piada ao som das agulhas a cruzarem-se, a ir a correr atrás da minha mãe que já tinha feito asneira, desmanchar, apanhar malhas… Enfim. O crochet será sempre o crochet, mas cheira-me que o tricot é coisa para ficar.


It may not be anything special, but it took me almost a month to make this knitted hat and it is the very first thing I have ever knitted. The truth is *sigh* that I loved to knit! Even taking the time I took, it was actually fun to me to hear the sound of the needles working, asking my mom for help every time that I’ve damaged the knit, undo, catch the missing stitches… Oh well. Crochet will always be crochet, but I get the felling knitting is something I will love to do!

Alcagoita

sábado, 12 de janeiro de 2013

Caixa de Fósforos / Matchbox





A minha avó, uma senhora que admiro muito, tinha uma caixinha de fósforos como esta dentro da mala e quando a vi fiquei logo maluca pelo design e pela estética do logotipo. A marca é espanhola, e rapidamente lhe pedi para me arranjar uma igual. É incrível como por vezes não damos conta das coisas pequenas, normalmente as caixas de fósforos são um objecto banal, e no entanto esta é simplesmente fabulosa e perfeita para o projecto que tinha em mente.

O ratinho foi feito quase por brincadeira, a seguir vieram os lençóis e a almofada e depois usei um granny square da manta que ando a fazer (há dois anos, e nunca mais tive tempo de pegar nela) para fazer de mantinha. No geral, posso dizer que me apaixonei. Ainda falta um pijama para o ratinho, mas isso virá com o tempo. Por agora está na minha mesinha de cabeceira, e todas as noites antes de me deitar rio-me um bocadinho a olhar para ele a fazer a mesma figura que eu.

My granny, a lady whom I admire a lot, had a matchbox very similar to this one inside her bag and when I saw it I immediately feel in love for the design and the whole esthetic of the logo. The brand is Spanish, and I quickly asked for a matchbox like this for myself. It is unbelievable that sometimes we don’t notice the little things, like this one, which is such an ordinary object, and yet so simple, fabulous and perfect for a thing I had in mind.

The little mouse was made mostly for fun, and along came the sheets, the pillow and a granny square from  the blanket I am making (geez, I have been making it for 2 years now, and I hardly get the time to work on it) to make his blanket. Overall, I can say I feel in love with this. I’m still missing the mouse pajama, but that will come with time. For now, he is lying near my bed and every night, before going to sleep I look at it and I laugh at the little mouse doing the same thing I’m making: fall asleep.

Alcagoita

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

DIY: As golas/ The Cowls






Fiquei mesmo feliz quando me pediram para partilhar aqui o esquema que criei para as minhas golas, até porque a ideia deste blog é partilhar e no fundo é isso que gosto de fazer!

Como tal, aqui fica o padrão que criei, juntamente com uma pequena amostra para seguirem. A largura e comprimento deixo ao vosso critério, tentem sempre ter em conta que a ideia principal é deixar os pontos assimétricos (acreditem, todas as golas que fiz acabam por ter tamanhos completamente diferentes!). Espero que gostem e que vos inspire!

I was very glad when I was asked to share here my scheme for the cowls! This blog is about sharing and in the end, this is what I love to do!

So here is the pattern I have created for the cowls, along with a little sample to guide you. The height and width I leave to your criteria, since everyone has its own taste (believe me, every cowl I make has its own measurements!), just keep in mind that you need to leave the stitches asymmetrical. I hope you like it and that it inspires you!

Alcagoita

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Pikachu Mug warmer








Parece que foi há tão pouco tempo e no entanto já lá vão 2 meses desde que a minha amiga Maria fez anos e lhe ofereci este mug warmer do Pikachu, de quem ela é fã. Como na altura não tive tempo de tirar fotografia para por aqui no blog, pedi-lhe e ela enviou-me estas. Espero que gostem!

It seems it was only yesterday, but my friend Maria birthday was 2 months ago and by then I gave her this Pikachu mug warmer, since she is a huge fan of Pikachu. At the time I had no time to take pictures and post it in the blog, so I asked her to take some pictures and she sent me this lovely ones. I hope you’ll enjoy!

Alcagoita

sábado, 5 de janeiro de 2013

Kireei: viver devagar/ living slowly









Como já aqui tinha dito, a Kireei é sem dúvida a minha revista favorita. O tema desta nova edição é viver devagar, algo que prezo muito e que acho que poucos de nós fazemos. Viver devagar não é ser preguiçoso, mas sim parar para aproveitar as coisas e desenvolver novos métodos para sermos eficientes e ao mesmo tempo capazes de viver a vida ao nosso ritmo.

Esta nova edição da Kireei está repleta de imagens bonitas, textos inspiradores e toda uma filosofia que nos dá que pensar. Sem dúvida, a Kireei é uma revista muito especial, uma lição de vida semestral que vou tentar ler o mais devagar possível, para aproveitá-la da maneira que merece.

A ilustração da segunda imagem é da Laura Miyashiro, e uma lição de vida para mim.


Like I’ve already told you, Kireei is my favorite magazine. This number's theme is to live slowly, something I find very important and I think not many of us do these days. Living slowly is not about being lazy, is enjoying the little things and develop new methods for us to become more efficient and at the same time live life in our own rhythm.

This new number of Kireei is filled with pretty images, inspiring articles and a very interesting philosophy, which will give you something to think. Without a doubt, Kireei is a very special magazine, a life’s lesson which comes every 6 months and that I will try to read as slow as possible, to enjoy it just the way it’s meant to be.

The illustration on the second image is from Laura Miyashiro and to me, a very important lesson in life!

Alcagoita

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Para este ano/ For this year



O ano passado em Janeiro tomei uma resolução de ano novo e segui o Year of Good Things da Pip, no blog Meet Me at Mike’s. A verdade é que sem querer todos fazemos boas acções o ano inteiro, às vezes só precisamos de ter calma e apreciar o que fazemos e o que nos rodeia.

Este ano (e como consegui terminar o meu desafio do ano passado) o desafio é o Photo a Day do blog FatMumSlim! Todos os dias um tema, todos os dias uma foto. Deixo-vos aqui o mês de Janeiro para vos tentar e obrigado à Nikki do Blog The Little Nordic Cabin por ter partilhado esta ideia excelente!

Last year in January I took a new year’s resolution and I started doing a project called A Year of Good Things by Pip at Meet Me at Mike’s. The truth is that without even knowing it, we all do good things and sometimes we just need to stop and take some time to appreciate and enjoy the things we do and see around us.

This year (and because I managed to take the challenge from last year) my new challenge is a Photo a Day from the blog FatMumSlim! Every day there is a theme, and a photo to take. I’ll leave you with January themes to tempt you and a big thanks to Nikki, from the blog Little Nordic Cabin for sharing this amazing idea!


Alcagoita

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

A tricotar/ Knitting





Como estou sempre aqui a dizer, o tricot para mim sempre foi um mostrengo impossível, que apenas a minha mãe e a minha avó sabiam fazer. No entanto, já começava a sentir necessidade de aprender uma coisa nova e desta vez foi o tricot, já não havia como escapar. Agora tenho que dar o braço a torcer, não é assim tão difícil e quando se lhe agarra o jeito até chega mesmo a ser viciante. A ideia é fazer um gorro com esta lã que o Miguel me tinha oferecido há uns meses. Vamos lá ver como corre!

Like I’ve been saying here, knitting was like a huge monster to me, impossible to make, and only mastered by my mom and granny. However, I was beginning to feel the need to learn a new technique and this time there was no way I could escape knitting.
Now I’ve got to give in and say that, ok, it’s not that hard and once you get the hang of it it’s actually addicting to do. My first project is to me a knitted hat with this amazing wool Miguel had given to me some months ago. Let us see how it goes!

Alcagoita