segunda-feira, 31 de março de 2014

Salvar a Lã Portuguesa / Save the portuguese wool





There are things in which you believe and defend with all your heart; there are things that although we don’t talk about them are shared by many of us and little by little are growing, until it starts to be something concrete and palpable.
The project is called “Save the Portuguese wool” and it’s something I believe very strongly – a fair and sustainable trade where the producer, the manufacturer and the final consumer connect to each other and give value to something that is our own identity and deserves to be shared with others.

Right now Eglè, Mafalda, Filipe and I are the faces of this project competing in “Ideias de Origem Portuguesa”. You can learn more here.

Ele há coisas em que acreditamos e defendemos com todo o nosso ser; ele há ideias que embora inicialmente não faladas são partilhadas por muitos de nós e que aos poucos vão crescendo, até se tornarem algo concreto e palpável.
O projecto chama-se Salvar a Lã Portuguesa e é algo em que acredito piamente – um comércio justo e sustentável em que o produtor, o transformador e o consumidor final se interligam para valorizar algo que é tão nosso e que merece ser partilhado com os outros.

Neste momento a Eglè, a Mafalda, o Filipe e eu estamos a concorrer com este projecto para o concurso Ideias de Origem Portuguesa. Podem saber mais aqui.  



sexta-feira, 28 de março de 2014








I have with me the tiles from the first two classes of the tiles workshop – in the first class we’ve painted with a brush and in the second with a sponge. I found it easier to paint with the brush (and I liked it more) but when we had to use impressions I realized the sponge was more practical. When I get the other tiles I’ll show them here.

The good thing about this type of inks is that they can be applied over the glaze and don’t need to be fixed in high temperatures which means you can do this in a regular home oven (and from what I’ve read in the label they are not toxic). However, and like you can see in the yarn ball tile, with all the handling the ink may collapse. Extra careful next time miss Sara Lucas!

Já tenho comigo os azulejos das primeiras aulas da oficina – na primeira aula pintámos com pincel e na segunda com esponja. Gostei mais de pintar com pincel, mas depois com a técnica da estampa achei a esponja mais prática. Quando tiver os outros azulejos mostro aqui.


A parte boa destas tintas é que podem ser aplicadas por cima do vidrado e as peças não precisam de ser cozidas a temperaturas tão elevadas, o que quer dizer que podem ser cozidas no forno de casa (ainda por cima pelo que li no rótulo não são tóxicas). Contudo, e como se pode ver no azulejo do novelo, com a continuação e de estarem sempre a tocar a tinta pode começar a sair. Cuidados redobrados para a próxima menina Sara Lucas!



quarta-feira, 26 de março de 2014





It is no secret I am a big fan of Rosários4 Re-Use so when the time came to start thinking about a bag for the konstrukor I immediately knew I wanted to work with this one. The challenge was to make it fit the konstruktor like I did withmy Diana mini but that was no easy task and after several tries I decided I would leave that idea and work in a simple bag where I could carry the camera and maybe film.
So this is the final result – Rosários4 Re-Use +  fabric granny Ilda gave me years ago (I can’t get tired of this vintage prints). It is practical and I can use it inside my regular bag or in the shoulder. Next on the to do list is the camera strap and I think it’s all done.


Não é segredo nenhum que sou uma fã incondicional da linha Rosários4 Re-Use por isso quando chegou a hora de fazer uma mala para a konstruktor imediatamente percebi que queria trabalhar com este fio. O desafio aqui era fazer com que a bolsa fica-se justa à maquina, como fiz com a Dianamini mas tal levantou demasiados problemas por isso passadas algumas tentativas decidi fazer uma bolsa normal onde conseguisse levar a câmara e alguns rolos.

Portanto, este é o resultado final – Rosários4 Re-Use + tecido que a avó Ilda me deu há uns anos atrás (não me consigo cansar deste padrão). A bolsa é muito prática e consigo utilizá-la dentro da minha mala normal ou ao ombro. A seguir na lista está a fita para por ao pescoço e fica tudo feito.



segunda-feira, 24 de março de 2014

Serigraphy / Serigrafia






Last Saturday I went with Miguel to a serigraphy workshop in the Respigar shop in Campo de Ourique. The workshop was given by Maria from Carapau Amarelo (I’ve talked about Carapau Amarelo here).

I found one of my favorite illustrators in the workshop, Ana Oliveira with whom I had the pleasure to talk a little bit (and in the end I asked her if I could take one of her little ridding red hood that I love and she was kind enough to say yes!).

I had a lot of fun in the workshop – everyone was really cool, Maria and Telma were very patience with us and I’ve learnt a technique which I doubt I could learn alone. Since the goal of the workshop was to work in pairs me and Miguel made two Aztec themed t-shirts for me, a thundercats t-shirt for Miguel and one with spaceships for Ricardo since last week was his birthday. The first printings were always made in paper so I’ve brought some drafts home with me (:

More about Respigar here and facebook page here.

More about Carapau Amarelo here and facebook page here.


No sábado passado fui com o Miguel a um workshop de serigrafia na Respigar em Campo de Ourique. O workshop foi dado pela Maria da Carapau Amarelo (de que já aqui falei).

No workshop também estava a Ana Oliveira, uma das minhas ilustradoras favoritas com quem tive o prazer de falar um bocadinho (e no final ainda lhe pedi para ela me fazer em papel um dos seus capuchinhos vermelhos que eu adoro!).

Diverti-me imenso no workshop – tudo gente fixe, muita paciência da Maria e da Telma à mistura e aprendi uma técnica que nunca ia conseguir aprender sozinha. Como o objectivo do workshop era trabalhar em conjunto no final eu e o Miguel acabamos pro fazer duas t-shirts para mim com padrões aztecas, uma t-shirt com o símbolo dos Thudercats para o Miguel e uma t-shirt com naves para o Ricardo que fez anos a semana passada. As primeiras impressões eram sempre feitas em papel para ver se estava tudo bem com a estampa por isso ainda trouxe uns rascunhos para casa (:

Mais sobre a loja Respigar aqui e facebook aqui .
Mais Sobre a Carapau Amarelo aqui e facebook aqui














quinta-feira, 20 de março de 2014



People say that if you do something you love then you will not get tired (at least something like this) and I can safely say half percent of the time I think they are just crazy. But then, by the time I actually finish and have time to enjoy my work, I realize how satisfied I am and how much I loved doing it. I cannot believe how resilient I have been for the past few days and I fell glad about that. Since March began I’ve learned a lot (pottery, tiles, animation…) and more is planned until the end of the month (at least a serigraphy and a pinhole camera workshop! I am so excited about both!). Nowadays I spent all of my free time working on the short film we are doing in the animation course and volunteering at the Lisbon’s animation festival MONSTRA. I am tired, yes, but I am satisfied and fulfilled. I am doing things I love and every day is different. I am glad I am having all of these experiences.


Costuma-se dizer que quem corre por gosto não cansa e eu posso garantidamente dizer que metade do tempo considero que quem diz isso é completamente maluco. Contudo, chegada aquela altura em que tenho algum tempo para apreciar o meu trabalho, chego à conclusão que estou verdadeiramente satisfeita e apercebo – me do quão gosto de fazer o que acabei de fazer. Na verdade nem acredito o quão resiliente tenho sido nos últimos dias e fico feliz por isso. Desde o início de Março aprendi imensas coisas (a cerâmica, os azulejos, o cinema de animação…) e tenho mais coisas planeadas até ao fim do mês (pelo menos um workshop de serigrafia e outro de pinhole, estou desejosa pelos dois!). Nesta última semana tenho passado o meu tempo livre dividida entre trabalhar na curta de animação para o curso e a fazer voluntário na mostra de cinema de animação de Lisboa. Estou cansada, é verdade, mas sinto-me satisfeita e realizada. Ando a fazer coisas que gosto e todos os dias são diferentes. Estou feliz por ter todas estas experiências.


… Para ser lido enquanto se ouve isto (:




quarta-feira, 12 de março de 2014

Porto palafítico















They say it’s the biggest in Europe. In Carrasqueira.
This is a harbor made by fisherman and maintained throw centuries.


Dizem que é o maior porto palafítico da Europa. Na Carrasqueira.






terça-feira, 11 de março de 2014

The desert beach / A praia deserta




















I write this post has if it was a page of my own diary.

I fell I’m drifting, getting more and more away from reality.


I live in a world where we are conscious about our decisions, where we try to live, not just to be. We are travelling, discovering new things and just let all this beauty surround us. And believe it or not I do prefer to live this way - sometimes I forget people chose to live differently. I respect them for their decisions. I am glad we are making our own. 


segunda-feira, 10 de março de 2014

About my tiles/Dos azulejos cá de casa






I love tiles. I have said it and I’ll repeat as much as I have too. All of these pieces of tiles were found in waste and given to me. They are precious treasures and I don’t mind them broken. Art is still art even when it’s covered with dust.

Last week was dedicated to tiles. I’ve participated in a four days atelier where I learned different techniques to make tiles using low temperature inks. The atelier was organized by Plataforma Lx in a room near Torel which was by itself a true tiles heaven.

Adoro azulejos. Já o disse e repito a quantidade de vezes que for preciso. Todas estas peças foram retiradas de entulho e acabaram por vir parar às minhas mãos. São uma espécie de tesouros pessoais e não me importo que estejam partidos. Arte continua a ser arte, mesmo que esteja coberta de pó e terra.


A semana passada foi dedicada aos azulejos. Participei durante quatro dias numa oficina dedicada ao fabrico de azulejos na qual aprendi várias técnicas recorrendo a tintas de baixo forno. A oficina foi organizada pela Plataforma Lx numa sala junto ao Torel que por si só é um pequeno paraíso de azulejos.