quinta-feira, 3 de abril de 2014

Pinhole



Negative  /  Positive






I have been late on my posts here.

Last weekend I went with a friend to a pinhole workshop and it was amazing.

It is my wish to learn a lot about a lot of things, photography being one of them. Pinhole is the essence of photography to its simplest method – a black box with a little hole on it and a piece of light sensible paper. Now let me tell you just because the theory is very simple the process itself is not – you have to adjust the diameter of the hole with the size of your box, you have to calculate times of exposure in regards of the weather that specific day… it is an art let me tell you and like every type of art it can be learn but being “handy” at it always helps. I took full 8 hours to take and process 4 negatives and 2 positives.

 I learned a lot about things I can apply not only in pinholes but analogic and digital photography. I’ll try to do this again but the truth is light sensible paper is very expensive so first I need to really think about what I want to do.

My friend Diana took that photo of me with her pinhole made with a tin can.

Acho que tenho andado atrasada com os meus posts aqui.

O fim-de-semana passado fui com uma amiga a um workshop de pinhole e superou as minhas espectativas.
Como já se devem ter apercebido tem vindo a ser uma demanda pessoal aprender mais sobre uma série de coisas que me interesso e sobre as quais quero melhorar os meus conhecimentos – a fotografia é um destes casos. Essencialmente uma máquina fotográfica pinhole não passa de uma caixa pintada de preto e isolada à luz na qual se faz um pequeno buraquinho e onde se coloca papel fotossensível. Parece fácil certo? Na realidade é muito mais complicado que isto – o diâmetro do buraco deve ser ajustado às dimensões da pinhole, o tempo de exposição deve ser calculado consoante a meteorologia do dia (e mesmo durante o dia tem que se ir ajustado conforme a luminosidade que se faz sentir)… Todo o processo é mesmo uma arte que como todas as artes se pode aprender mas claro que ser um bocadinho habilidoso para a coisa não faz mal nenhum. Escusado será dizer que gastei 8 horas a tirar quatro fotografias e a processar 4 negativos e 2 positivos.

A verdade é que neste workshop aprendi uma série de conceitos que se podem aplicar não só às pinhole mas também às máquinas analógicas e digitais, o que me clarificou e muito todo o processo. Claro que o que aprendi é para ser novamente posto em prática contudo o papel fotossensível é MUITO caro e para o fazer tenho que planear muito bem o que quero fazer.

A minha amiga Diana tirou aquela foto de mim com a sua pinhole feita com uma lata redonda.



2 comentários:

  1. Wow, you really have great patience to be able to explore this old type of photography, for me it's just something you see in museums...

    ResponderEliminar

Please tell me what you think! *(: