domingo, 29 de março de 2015

FRESS








No âmbito das Jornadas Europeias das Artes e Ofícios e num dia que se diga no mínimo atribulado e cheio de aventuras conseguimos à justa fazer visita às oficinas de fundição e cinzelagem.

Há que dizer que apesar de ter um carinho especial para latoaria todos os ofícios que envolvem o trabalho do metal não são propriamente uma coisa que me fascina (para passar o dia a ver trabalhar peças metálicas já me chegam os outros 5 dias da semana…) contudo aqui foi diferente.

Já conhecia a indústria dos moldes em areia mas nunca os tinha visto a produzir peças tão pormenorizadas e quanto à cinzelagem, não conhecia de todo a técnica, que apesar de complexa produz resultados fantásticos.

No ar fica um gostinho agri-doce – hoje em dia começa a tornar-se insustentável manter este trabalho, ainda mais considerando que a maior parte das pessoas desconhece toda a técnica penosa e demorada que está por trás. Se acho que ainda existe um nicho de mercado que valorize este tipo de produtos? Sim. Contudo como tudo o que estagna tende a desaparecer tenho algum receio que estagne, e que por sua vez desapareça.


Fiquei com pena de não ter conseguido ver mais. Há visitas durante a semana às oficinas, para quem esteja interessado, basta ligar a perguntar.



quarta-feira, 25 de março de 2015

7ª Bateria










Dos sítios abandonados que já estive este é de longe o menos “abandonado” e o mais “amigável”. E uma vista de cortar a respiração.

Aconselhado para todos, de todas as idades.



From all the abandoned places I’ve been this is by far the least “abandoned” and the most “friendly”. And with a breath taking view.


A very cool place to visit with people from all ages.




terça-feira, 24 de março de 2015

Abundância V / Abundance V



À terra, o que é devido.

Esta coisa dos vasos biodegradáveis é maravilhosa.



To the earth, what is owed.


I must admit this thing about biodegradable pots it’s really cool





domingo, 22 de março de 2015

Sobre tecnologia / About technology



Estou sem computador.

Era uma coisa que já se espera com a quantidade de erros que me estava a dar mas a verdade é que acho que a última vez que fiquei sem computador foi há mais de 10 anos (eu sei, eu sei, geração y certo?)

O computador não é uma coisa que me faça muita falta - já me chega as horas que passo no trabalho agarrada a um ecrã e a dependência que se foi criando ao longo dos anos do telemóvel. A única coisa que me irrita é não conseguir vir escrever ao blog tanto quanto queria e com as despesas que se avizinham não me cheira que vá comprar um nos próximos tempos.


I am without a computer.

It was a thing I was quite expecting, with the amount of errors I was getting but the truth is I haven’t been without a computer for… 10 years (I know, I know, generation Y right?)

I must admit I don’t miss a computer that much – honestly, the amount of hours I spend in front of a computer at work are quite enough and I still hate the dependence I have created over my smartphone. The only thing that annoys me is the fact that I can’t come here and write as often as I like and with the expenses I will have I am sure I won’t be buying a computer 





sexta-feira, 13 de março de 2015

Contar Ovelhas II / Couting Sheep II




Já tinha saudades de bordar. Vão ser dois sacos, um com ovelhas e nuvens o outro ainda não sei o que vou bordar.


I missed embroidering. In the end I am making two tote bags, one with sheeps and clouds and the other I still don’t know what I will do.




quinta-feira, 12 de março de 2015

Lavoisier




Dans la nature rien ne se crée, rien ne se perd, tout change

Fiz este casaco o ano passado. Este ano já não gostava dele, desmanchei. Vou começar de novo.



I made this jacket last year. This year I wasn’t very fond of it so I unmade it. I’m starting again.





terça-feira, 10 de março de 2015

Os Panos da Terra





Não é dos blogs que sigo há mais tempo mas posso dizer que é dos que sigo com mais atenção.

Do livro ainda não consigo dizer grande coisa, pois vou ter que o ler com muita atenção. Já vi por alto alguma referência à real fábrica de panos. Tenho que admitir que me deixa curiosa, e espero que me consiga responder a muitas das perguntas que tenho.



*translation: Textil Production in Portugal by the end of the middle ages*

It is not a blog that I have been following for a long time however it’s one of those I follow very closely.


I still can’t say much about the book because this is one I have to read with very attention. I’ve seen in it some references about the royal cloth’s factory (is this right?) so I have to admit this makes me very curious and I am hoping it will lead me to some answers I want to know for a while




domingo, 8 de março de 2015

Abundância parte IV / Abundance part IV












Por aqui, tudo pegou, tudo cresceu, tudo floriu.
(Até os tremoços (: )

Here, everything grew, everything flourished.
(Even the lupine beans (: )