domingo, 19 de abril de 2015

Manutenção Militar / Military Maintenance















A Manutenção Militar (MM) fica em Xabregas e essencialmente estava responsável pelo racionamento militar. As instalações situadas no antigo convento das Grilas albergava uma série de instalações: fábrica de moagem de cereais, fábrica do pão, fábrica de bolachas, fábrica de massas, torrefação de café, fábrica de conservas, salsicharia, matadouro, laboratório, etc.

No âmbito do dia internacional dos museus e sítios a MM abriu as portas e foi possível visitar a fábrica de moagem e a fábrica do pão. Fiquei boquiaberta com o que encontrei: equipamentos e estruturas do final do séc. XIX bem como outras mais recentes e igualmente fascinantes. Uma série de maquinaria imaculadamente conservada e cheia de história. Uma sala de fornos com azulejos a retratar todo o ciclo do pão digna de ser visitada.

A MM terminou oficialmente a sua última produção em 2011 e actualmente está a entrar naquele limbo que se chama “empresas públicas”. Estão a ser feitos esforços para que a MM não seja vendida e seja mantida como o importante Pólo de arqueologia industrial que é. Pessoalmente fiquei completamente fascinada com a MM e com a sua potencialidade como ponto de interesse público.

Por enquanto só é mesmo possível visitar parte do edifício de entrada (com dois corredores já em modo de museu a expor como era a vida na MM), a fábrica de moagem e a fábrica do pão mas em breve poderá ser possível visitar outras áreas como a fábrica das bolachas (!!!) e a torrefação do café. Sei que em Maio haverá nova visita. É ficar à espera.


The Military Maintenance (MM) is in Xabregas and it was essentially responsible for the military rationing. The factories where in the old Grila’s convent and it involved a series of industries: the cereal milling, the bread factory, the cookies factory, the pasta factory, the coffee roasting factory, the canned food factory, the sausage factory, the slaughterhouse, the food laboratory, etc.

In the international day of museums and places MM opened its doors and it was possible to visit the milling and bread factory. I was simply amazed with what I found: the most amazing equipment from the end of the XIX century and many other more recent machines which were just has impressive.
A series of machines highly and very well kept and filled with history. A furnace room with the most wonderful tiles representing the bread cycle so much worth the visit.

MM officially finished its production with the last batch in 2011 and now is in that limbo we like to call “public enterprises”. Efforts are being made to keep MM and stop it from being sold so it can stay has the important industrial archeological pole it is. Personally, I was mesmerized with MM and its potential to be a public place of interest.


For now you can only visit the main entrance of the main building (with already two corridors with some exhibitions about the life in the MM), the milling and the bread factory but soon it will be possible to visit other areas like the cookie factory (!!!!) and the roasting factory. I know that a new visit will be scheduled to May. We’ll see (:



sexta-feira, 17 de abril de 2015

Coast - Holst




O ano passado convenci a minha mãe a comprar estes novelos da Holst e apesar de ela não ter propriamente gostado de tricotar com eles a mim agradou-me – o fio (55% lã – 45%algodão) é muito leve e mesmo que os novelos pareçam muito pequenos têm muito mais metros de linha que os novelos normais (100 g = 700m) por isso o resultado final são camisolas, casacos, etc extremamente leves. Agora foi a minha vez de começar a trabalhar com eles.

Ainda não sei muito bem o que vai sair daqui. Por enquanto vou fazendo, depois logo se vê.


Last year I convinced my mom to buy this yarn from Holst and altough she didn’t quite liked to knit with them I found them great – the yarn (55% wool – 45%cotton) is very light and the yarn balls might seem small but actually they have a huge amount of yarn to work (100 g = 700m) so the result are very fine and light blouses, jackets, etc. Now it's my time to knit with them,


I not sure what will come out of this. For now I am doing it and we’ll see what it will be.




terça-feira, 14 de abril de 2015

Voltar a fiar / Back to spinning



O gancho do fuso já está meio solto, mas não me consigo habituar ao outro fuso que tenho.
Ainda tenho lã do ano passado para fiar, mas desta vez não vai ser para mim.

Entretanto e para desenrascar arranjei umas cardas para cão que servem perfeitamente para esta minha nano produção.



The hook in my spindle is kind of loose but I can’t get used to the other spindle I have.
I am still spinning last year’s wool but this time I am not spinning for my own.

Meanwhile and just for now I got some dog carders which are fine for this nano production of mine.





domingo, 12 de abril de 2015

Alinhavar pontas soltas / Tacking loose ends



Depois do casaco acabado, parece que a única coisa que falta mesmo é alinhavar as pontas soltas.
Ficou curtinho [para variar] mas foram de longe as melhores mangas que já fiz.
Nestas coisas não costumo ter pressa – aos poucos e poucos chego lá.
No final o casaco levou mais de 3 meadas de Frescão.

Entretanto boas notícias – graças ao Miguel o computador ficou arranjado por isso é menos uma coisa com que tenho que me preocupar. Faltam as outras não sei quantas que aos poucos e poucos [e milagrosamente] se vão resolvendo.




I finished my jacket and now the only thing missing is to tack the loose ends.
It’s kind of short [has usual] but these were by far the best sleeves I’ve ever made.
With these things I am usually not in a hurry – little by little I’ll get there.
In the end I've used more than 3 skeins of Frescão.


Meanwhile good news – thanks to Miguel my computer is now working and this is one less thing on my mind. Still, there are a million others rushing around that somehow [miraculously] are getting solved.



sexta-feira, 10 de abril de 2015

Tremoços / Lupins




Eram sementes, agora são plantas desenvolvidas com flores.
Cada vez mais me parece que este ano vamos ter tremoços.


They were seeds and now they are fully grown plants with flowers.
It seems more and more likely we’ll have lupins this year.




quinta-feira, 9 de abril de 2015

Pétalas de Marmeleiro / Quince petals




Não sabia, fiquei a saber que as pétalas das flores do marmeleiro são comestíveis. E não é que sabem bem?


I didn’t knew about this but I guess now I know that the quince petals are eatable. And they taste very good.





terça-feira, 7 de abril de 2015

Estevas




Se não estou em erro foi num livro do Orlando Ribeiro que primeiro tomei conhecimento da importância das estevas: plantas autóctones que produzem um óleo muito interessante para a indústria dos cosméticos.

Para mim as estevas são e sempre serão o cheirinho do Alentejo e das viagens para sul.

If I’m not mistaken I first read about the importance of Estevas in a book by Orlando Ribeiro: indigenous flowers that produce a very interesting natural oil for the cosmetic industry.



For me estevas are and will always be the smell of Alentejo and my trips south.



domingo, 5 de abril de 2015

Minas do Lousal / Lousal mines









Não tão exuberantes como as minas de São Domingos, mas muito muito interessantes.

Os lagos ácidos continuam a ser uma coisa que me fascina e me impressiona (pela negativa) ao mesmo tempo.



Not as exuberating as the São Domingos mines, but still very very interesting.


The acid lakes are still something that fascinate and also impress me (in the negative sense) at the same time.