domingo, 3 de abril de 2016

Três dicas para usar o Etelbert



Os meus conhecimentos de tecelagem são muito limitados – baseio-me no que leio, no que observo e pouco mais. O que não invalida que já não me tenha aventurado em tear vertical e horizontal.

Como já tinha dito, o ano passado fui montar e aprender atecer no Etelbert, um projecto que já aqui falei e que continuo a achar genial. De qualquer forma, pouco depois do workshop tentei montar a teia sozinha e iniciar novo projecto e correu [muito] mal. Passados alguns meses (e durante uma altura em que precisei de parar com o tricot por umas semanas) voltei a montar a teia, (utilizando as três dicas que deixo aqui) e funcionou tudo bem.

1. Este vídeo.

O Etelbert tem uma estrutura muito parecida com o SampleItLoom da Ashford por isso (e porque sou uma pessoa esquecida) rever todas as etapas de montagem neste vídeo ajudou-me e muito. Fora isso, como mostra o processo todo para fabricar um cachecol acaba por ser uma boa referência ao longo do processo.

2. Grampos

No workshop utilizámos grampos para fixar o tear e para auxiliar a fazer a teia. Na minha ingenuidade achei que chegando a casa conseguia trabalhar sem eles mas… não. Acabei por comprar dois e ajudam bastante a fixar o tear (que é bastante leve e facilmente se mexe) e a montar a teia.



3. Clips.

O Etelbert vem com uma ferramenta (tipo agulha de crochet) para enfiar os fios no pente. A mim, dá-me muito mais jeito usar clips para a mesma função.




Espero que ajude.




Sem comentários:

Enviar um comentário

Please tell me what you think! *(: